Uma surpresa agradável!!!


Recentemente, caiu em minha mãos um livro intitulado"Cacos de infância: teatro da solidão compartilhada" de Marina Marcondes Machado, em uma banca de promoções de uma grande livraria paulistana, onde não se espera encontrar grandes leituras, mas onde sempre tive a felicidade de encontrá-las, grandes e deliciosas leituras, e esta foi uma delas.
O que me chamou a atenção, além do titulo (principalmente as palavras 'infância' e 'teatro', contidas nele), foi a reivindicação da autora, de um teatro "que de o direito a criança sentada na plateia de ser representada de uma maneira inteligente e digna, sem maniqueismos pueris e simplistas, e que este tipo de teatro reafirme o dever dos adultos produtores de cultura, eles mesmos sentados ou não nas plateias, de rabiscar a personagem criança a partir da grande variedade de matizes e cores...e não a partir das cores primarias"´. É claro que não poderia deixar de transpor isso para a dança, e porque não, para a educação e a pedagogia?
E qual não foi minha surpresa e grande descoberta ao me deparar com dois autores/filósofos: um já um pouco conhecido, mas mas não tão profundamente, Maurice Merleau-Ponty, e o outro, conhecido apenas por nome, Gaston Bachelard. Foi paixão a primeira vista, ou as primeiras palavras. Autores que vêem a criança e seu imaginário de uma maneira diferente de tudo que já li, e exactamente tudo aquilo que procurava, tudo o que penso sobre a infância (principalmente a primeira infância, cada vez mais a minha paixão), enfim me apaixonei por este livro barato jogado numa banca de promoções, abandonado a minha sorte, e que sorte!!!
Uma escrita extremamente poética, sem deixar de ser cientifica (até por se tratar de uma dissertação de mestrado), algo que considero difícil na pedagogia, e ainda mais na arte.
Ver a infância por outro ângulo, o da poesia, eis o meu grande desafio profissional e porque não dizer, pessoal.

Postagens mais visitadas

Rabo