A BAILARINA


Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina.
Não conhece nem dó nem ré
mas sabe ficar na ponta do pé.
Não conhece nem mi nem fá
mas inclina com o corpo para cá e para lá.
Não conhece nem lá nem si
mas fecha os olhos e sorri.
Roda, roda, roda com os bracinhos no ar
e não fica tonta nem sai do lugar.
Põe no cabelo uma estrela e um véu
e diz que caiu do céu.
Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina.
Mas depois esquece todas as danças,
e também quer dormir como as outras crianças.
(Cecília Meireles)


Uma das primeiras poesias que ouvi na minha vida.
Lembro-me de ouvi-la pela primeira vez (uma estrofe apenas) na voz de meu tio, que me chamava carinhosamente de 'menina bailarina', algum tempo depois minha professora da 1a serie me apresentou a poesia inteira, e a obra infantil de Cecília Meireles, que amo até hoje, e assim começou a minha paixão pela literatura e pela poesia, atravéz da dança pra variar, porque essa paixão já existia bem antes disso!

Postagens mais visitadas

Rabo