Cinestesia

Kandinski

Um músculo em movimento
Uma expressão no seu puro viver
Cada osso cada músculo
Cada poro
Fala pelos poros
Por cada fibra
A engrenagem conspira
Para o livre expressar
Dos sentimentos anônimos
A delinear a dança
Dos átomos em cada
Olhar atento ao frescor cinético
O olhar dança
O corpo se movimenta inerte
A cada passo
Fluido do bailarino
Mas quer dançar também
E imagina sua própria dança
Seu próprio mover
Seu próprio viver
E seu próximo vôo
E sonha um dia
Subir naquele palco
Pra dizer o que seu corpo quer ver

Postagens mais visitadas

Rabo